A definição de cor é simples e conhecida por muitos: cor é luz. São comprimentos de onda que o olho humano assimila e o cérebro converte em mensagem. Os objetos possuem pigmentos capazes de absorver algumas cores e refletir outras, e é exatamente a cor refletida de volta ao olho que o cérebro interpreta e transforma em cor. Um vaso azul, por exemplo, contém pigmentos que retêm todas as cores, exceto o azul que é refletido e enviado ao olho.

Em termos científicos, a explicação resume-se a isso. Mas cor é muito mais que apenas luz. Cor é informação. Estudando as cores é possível compreender um pouco mais sobre as nossas atitudes, fraquezas, medos, desejos etc.

A partir de dois anos de idade, a cor se torna uma das influências mais fortes na vida da criança. As tonalidades pela qual a criança mostra preferência oferecem dicas sobre sua vida emocional. Caso uma criança com menos de quatro anos prefira vermelho, laranja ou amarelo, por exemplo, traços de solidariedade e carência de afeto são evidentes em sua personalidade. Entretanto, se ela escolhe o azul ou o verde, ela é considerada inclinada à intelectualidade, egoísta, determinada e solitária.

Quando a criança atinge a adolescência, as suas respostas em relação às cores tenderão a ser constantes. Na vida adulta, apenas mudanças radicais, como viver num país diferente, por exemplo, acarretam alterações significativas na percepção da cor.

As cores afetam os adultos de duas maneiras. Em algumas situações, as reações são automáticas, involuntárias e naturais. Acontecem sem a pessoa se dar conta. A segunda diz respeito à aprendizagem e experiências passadas. Neste caso, pormenores, tais como sexo, idade, renda, nível cultural e ambiente, fazem diferença. Pessoas que trabalham em hospitais, por exemplo, normalmente desgostam do verde e, portanto, dificilmente usarão esta nuance em seu lar.

  • Vermelho: é a primeira cor que o olho enxerga pela manhã e que a criança reconhece. Transmite o desejo de alcançar e tocar. Geralmente os brinquedos preferidos das crianças são vermelhos (estudos revelam que elas brigam menos para ter um brinquedo se nenhum deles for vermelho). Estimula o apetite, aumenta a pressão sanguínea e faz a pessoa se sentir quente. No campo emocional, esta cor é associada à paixão, luxúria, impulsividade, ódio, raiva e coragem para revolucionar.
  • Rosa: como é associada a coisas doces, é a cor preferida para embalagens de bala. Além disso, o rosa é bastante utilizado nas decorações de quartos para as meninas, já que passa a idéia de doçura e inocência.
  • Laranja: transmite sensações de exuberância, jovialidade, vitalidade e ousadia. Alguém que veste uma roupa dessa tonalidade, certamente atrairá as pessoas para perto dela. Uma de suas mais fortes associações é a sede. Por essa razão, os refrigerantes laranjas, como a Fanta, aparentam ser muito mais refrescantes do que as bebidas escuras.
  • Amarelo: é a cor menos popular do espectro. Estimula a memória, por isso muitos cadernos de recados e blocos de anotação para assuntos legais são amarelos. Apesar de o amarelo ser identificado com iluminação, ouro e raiar do sol, não caia na tentação de pintar a sua casa dessa cor, pois estudos mostram que o valor imobiliário diminui. Além disso, especialistas na área afirmam que bebês choram com mais freqüência em quartos amarelos, já que esta é a tonalidade mais difícil para o olho processar e ver.
  • Verde: é a cor mais fácil de o olho enxergar. Transmite sensações de relaxamento, conforto, quietude e concentração. A cor neutra da natureza é associada à primavera, novo crescimento e recomeços.
  • Azul: suas variações constituem as tonalidades mais populares. O azul ajuda a diminuir a pressão sanguínea. É conhecido também como a cor da confiança, longevidade e segurança. As pessoas que preferem viver sozinhas escolhem o azul em razão do seu caráter acolhedor.
  • Roxo: exibe características tanto da cor vermelha como da azul. Auxilia a diminuir a pressão sanguínea, cortar o apetite e acalmar as glândulas em excesso de atividade. Suas associações mais fortes são com fragrâncias florais, realeza e religião. A cor violeta – sua derivação menos intensa – sugere romance e imaginação.
  • Preto: considerada neutra, esta cor é tradicionalmente associada à morte e luto, embora atualmente contenha traços de sofisticação e elegância. O preto sugere dignidade, poder, secularidade, indiferença, intimidação e mistério.
  • Branco: indica pureza, inocência, juventude e limpeza.
  • Marrom: é tradicionalmente ligada à idéia de proteção e conforto, além de solidez e confiança, especialmente no âmbito familiar. Como é derivada da família da cor laranja, provoca efeitos similares, porém menos intensos.
  • Cinza: transmite a sensação de confusão, apesar de ser associada com inteligência. Indica também bom senso de comportamento e disciplina, bem como ações ponderadas e planejadas.

As cores provocam sensações e efeitos interiores de tamanha significância que custamos a compreender e aceitar. Desde crianças somos influenciados, seja positiva, seja negativamente, pelas cores primárias, secundárias e terciárias. No entanto, aprender de que maneiras elas nos influenciam ajuda a reverter seu poder em nosso favor.

Leia mais em http://www.mundocor.com.br

About arianepadilha.com

Adoro produção gráfica, nasci brincando em gráfica e descidi compartilhar essas coisas, existem tantas coisas tontas que mostram a vida de todo mundo, e porque não mostrar meus gostos?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s